Bullying, vinculação e estilos educativos parentais em adolescentes do 3º ciclo do ensino básico

Sónia Catarina Carvalho Simões, Joaquim Jorge Ferreira, Sandra Braga, Henrique Testa Vicente

Resumo


Objetivos: Dado que a literatura salienta o impacto da vinculação e do comportamento parental nos comportamentos de bullying, temos como objetivo estudar os comportamentos de bullying, de visibilidade crescente em adolescentes no contexto escolar, e a sua relação com a qualidade da vinculação e os estilos educativos parentais.

Método: A amostra deste estudo envolveu 50 adolescentes, 26 raparigas e 24 rapazes, com idades entre os 12 e os 17 anos (M = 14,24). O protocolo foi composto por: Questionário de Exclusão Social e Violência Escolar (QEVE), Inventário de Vinculação na Adolescência (IPPA) e A Parental Rearing Style Questionnaire for use with Adolescents (EMBU-A).

Resultados: Os adolescentes da nossa amostra tendem a ser mais observadores em situações de bullying, sendo os tipos de violência mais frequentes a exclusão social e a agressão verbal. As vítimas de bullying são mais frequentemente jovens de nível socioeconómico baixo e as raparigas são mais observadoras de exclusão social e agressão verbal do que os rapazes. No que respeita à vinculação, os jovens com mais comportamentos agressivos percecionam menor comunicação e confiança em relação ao pai e aos amigos e quando se sentem alienados face aos seus pares, estão mais sujeitos a serem vítimas de bullying. Por fim, relativamente aos estilos educativos parentais, os adolescentes mais agressivos tendem a ser os que sentem maior rejeição e menor suporte emocional maternos.

Conclusões: Fica, então, sublinhada a importância para os comportamentos de bullying dos estilos educativos parentais e da qualidade da vinculação dos jovens com as figuras significativas. Estas conclusões remetem-nos para implicações ao nível da prevenção deste fenómeno, sendo importante não só considerar variáveis individuais, mas também como o sujeito interage em todos os seus sistemas de pertença, focando a construção de relações afetivas.

 




DOI: http://dx.doi.org/10.7342/ismt.rpics.2015.1.1.8

Palavras-chave


vinculação, estilos educativos parentais, bullying, adolescentes

Texto Completo:

PDF

Referências


Ahmed, E. e Braithwaite, V. (2004). Bullying and victimization: cause for concern for both families and schools. Social Psychology of Education, 7, 35-54.

Ainsworth, M. (1989). Attachment beyond infancy. American Psychologist, 44, 709-716.

Almeida, A., Pereira, B. e Valente, L. (1995). A violência infantil nos espaços escolares: Dados preliminares de um estudo no 1º e 2º ciclo do ensino básico [The violence agaist children in school spaces: Preliminary data from a study in the 1st and 2nd cycle of basic education]. Em L. Almeida e I. Ribeiro (Eds.), Avaliação Psicológica: Formas e Contextos (pp. 225-262). Braga: APPORT.

Amado, J. S. & Freire, I. P. (2002). Indisciplina e violência na escola - compreender para prevenir [Indiscipline and violence in schools - understanding to prevent]. Porto: Edições Asa.

Antunes, D. e Zuin, A. (2008). Do bullying ao preconceito: os desafios da bárbarie à educação [From bullying to prejudgement: the challenges of barbarism to education]. Revista Psicologia e Sociedade, 20, 33-42.

Bandeira, C.M. e Hutz, C.S. (2012). Bullying: prevalência, implicações e diferenças entre os gêneros [Bullying: prevalence, implications and differences between genders]. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, 16(1), 35-44.

Barros, P. C, Carvalho, J. E., & Pereira, M. B. (2009). Um estudo sobre bullying no contexto escolar [A study about bullying in the school context]. IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia - PUCPR.

Bowlby, J. (1982/2001). Formação e rompimento dos laços afetivos [The making and breaking of affectional bonds]. (3ª Ed.) São Paulo: Martins Fontes (Obra original publicada em 1982).

Canavarro, M. (1999). Relações afetivas e saúde mental [Affective relations and mental health]. Coimbra: Quarteto Editora.

Carrilho, L. & Bacelar, T. (2010). Bullying - Agressividade em contexto escolar [Aggressiveness in school context]. Ousar Integrar – Revista de Reinserção Social e Prova, 6, 43-59.

Carvalhosa, S., Lima, L. e Matos, M. (2001). Bullying – A provocação/ vitimação entre pares no contexto escolar Português [Bullying – Provocation / victimization among peers in the Portuguese school context]. Análise Psicológica, 4, 523-537.

Carvalhosa, S., Moleiro, C. e Sales, C. (2009). A situação do bullying nas escolas portuguesas [The bullying situation in Portuguese schools]. Interações, 13, 125-146.

Carvalhosa, S. (2010). Prevenção da violência e do bullying em contexto escolar [Prevention of violence and bullying in school context]. Lisboa: Climepsi Editores.

Cruz, O. (2005). Parentalidade [Parenting]. Coimbra: Quarteto.

Cummings, M. E., Davies, P. T. e Campbell, S. B. (2000). Developmental psychopathology and family process: Theory, research and clinical implications. New York: Guilford Press.

Diaz-Aguado, M., Royo, P., Segura, M., e Andrés, M. (1996). Programas de educación para la tolerancia y prevención de la violencia en los jóvenes [Programs of education for tolerance and prevention of violence in youth]. Madrid: Ministerio de Trabajo y Asuntos Sociales.

Diaz-Aguado, M. (2004). Prevención de la violencia y lucha contra la exclusión desde la escuela [Violence prevention and fight against exclusion from school]. Madrid: Instituto de la Juventud.

Due, P., Merlo, J., Harel-Fisch, Y., Damsgaard, M. T., Holstein, B. E., Hetland, J., Currie, C., Gabhainn, S. N., Matos, M. G. e Lynch, J. (2009). Socioeconomic inequality in exposure to bullying during adolescence: A comparative, cross-sectional, multilevel study in 35 countries. American Journal of Public Health, 99(5), 907-914. DOI: 10.2105/AJPH.2008.139303

Freire, I., Simão, A. e Ferreira, A. (2006). O estudo da violência entre pares no 3º ciclo do ensino básico – Um questionário aferido para a população escolar portuguesa [The study of peer violence in the 3rd cycle of basic education - A questionnaire standardized for the Portuguese school population]. Revista Portuguesa de Educação, 2, 157-183.

Gomes, R. & Gomes, R. (2000). Perceived maternal control and support as predictors of hostile-biased attribution of intent and response selection in aggressive boys. Aggressive Behavior, 26, 155-168.

Ireland, J. L. e Power, C. L. (2004). Attachment, emotional loneliness, and bullying behavior: A study of adult and young offenders. Aggressive Behavior, 30, 298-312.

Kokkinos, C.M. (2013) Bullying and victimization in early adolescence: Associations with attachment style and perceived parenting. Journal of School Violence, 12(2), 174-192, DOI: 10.1080/15388220.2013.766134

Lacerda, M. (2005). A perceção das práticas parentais pelos adolescentes: implicações na perceção de controlo e nas estratégias de coping [The perception of parental rearing practices by adolescents: implications for control perception and coping strategies]. Tese de mestrado não publicada, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, Portugal.

Magklara, K., Skapinakis, P., Gkatsa, T., Bellos, S., Araya, R., Stylianidis, S. e Mavreas, V. (2012). Bullying behaviour in schools, socioeconomic position and psychiatric morbidity: A cross-sectional study in late adolescents in Greece. Child and Adolescent Psychiatry and Mental Health, 6(8), 1-13.

Marini, Z. A., Dane, A. V., Bosacki, S. L. e Ylc-Cura (2006). Direct and indirect bully-victims: Differential Psychosocial risk factors associated with adolescents involved in bullying and victimization. Aggressive Behavior, 32, 551-569.

Martins, M. J. (2005). Agressão e vitimação entre adolescentes, em contexto escolar: Um estudo empírico [Aggression and victimization among adolescents in school context: An empirical study]. Análise psicológica, 4, 401-425.

Martins, M. J. (2007). Violência interpessoal e maus-tratos entre pares, em contexto escolar [Interpersonal violence and abuse among peers in school context]. Revista da Educação, 2, 51-78.

Martins, M. J. (2009). Maus-tratos entre adolescentes na escola [Abuse among adolescents in school]. Lisboa: Editorial Novembro.

Martins, M. J. (2011). Prevenção da indisciplina, da violência e do bullying nas escolas [Prevention of indiscipline, violence and bullying in schools]. Proforma, 3, 1-6.

Matos, M., Simões, C. e Gaspar, T. (2009). Violência entre pares no contexto escolar em Portugal, nos últimos 10 anos [Peer violence in the school context in Portugal, the last 10 years]. Interações, 13, 98-124.

Medeiros, M. T. (2000). Adolescência: Abordagens, investigações e contextos de desenvolvimento [Adolescence: Approaches, research and development contexts]. Direção regional da educação. Centro de apoio tecnológico à educação.

Middelton-moz, J. e Zawadski, M. (2007). Bullying: Estratégias de sobrevivência para crianças e adultos [Bullying: Survival Strategies for children and adults]. Porto Alegre: Artmed.

Musitu, G., Estévez, E., Jiménez e Veiga. (2011). Agentes de Socialização da Violência e Vitimização Escolar [Socialization agents of Violence and School Victimization]. Em S. Caldeira e F. Veiga (Coord.), Intervir em Situações de Indisciplina, Violência e Conflito (pp. 43-73). Lisboa: Fim de Século.

Neves, L., Soares, I. e Silva, M. (1999). Inventário da Vinculação na Adolescência – IPPA [Inventory Attachment in Adolescence - IPPA]. Em Testes e Provas Psicológicas em Portugal (pp.37-48). Braga: APPORT/SHO.

Olweus, D. (1993). Acoso escolar, “Bullying”, en las escuelas: Hechos e intervenciones [School abuse, "Bullying" in schools: Facts and interventions]. Centro de Investigación para la promoción de la salude. Universidade de Bergen, Noruega.

Olweus, D. (1994). Annotation: bullying at school: Basic facts and effects of a school based intervention program. Journal of Psychology and Psychiatry, 43, 1171-1190.

Olweus, D. (1998). Conductas de Acoso y Ameaza entre Escolares [Behaviors of abuse and threat between schoolars]. Madrid: Ediciones Morata, S. L.

Pereira, A. I. F. (2007). Crescer em relação: estilos parentais educativos, apoio social e ajustamento – Estudo longitudinal com crianças em idade escolar [Growing in relation: parenting styles, social support and adjustment - Longitudinal study with school aged children]. Tese de doutoramento não publicada, Universidade de Coimbra, Portugal.

Pereira, B. (2004). Bullying in Portuguese schools. School Psychology International, 25, 241-254

Pereira, B. O. (2008). Para uma escola sem violência: estudo e prevenção das práticas agressivas entre crianças [For a school without violence: study and prevention of aggressive practices among children]. (2ª Ed.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Pestana, M. H. e Gageiro, J. N. (2008). Análise de dados para ciências sociais: A complementaridade do SPSS [Data analysis for the Social Sciences: The complementarity of the SPSS]. (5ª ed.). Lisboa: Edições Sílabo.

Raimundo, R. e Seixas, S. (2009). Comportamentos de bullying no 1º ciclo: Estudo de caso numa escola de Lisboa [Bullying behaviors in the 1st cycle: a case study in a school in Lisbon]. Interações, 13, 164-186.

Rech, R.R., Halpern, R., Tedesco, A. e Santos, D.F. (2913). Prevalence and characteristics of victims and perpetrators of bullying. Jornal de Pediatria, 89(2), 164-170.

Santos, S. e Cruz, O. (2008). "Questionário de Estilos Educativos (QEP) [Parenting Styles Questionnaire (PSQ)]. Avaliação Psicológica: Formas e Contextos. Braga: Formação e contextos.

Seixas, S. R. (2005). Violência Escolar: Metodologias de identificação dos alunos agressores e/ou vítimas [School Violence: Methodologies of Identification of the aggressors and / or victims students]. Análise Psicológica, 23(2), 97-110.

Seixas, S. R. (2006). Comportamentos de bullying entre pares: Bem-estar e ajustamento escolar [Bullying behaviors between peers:Well-being and school adjustment]. Tese de doutoramento não publicada, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, Portugal.

Simão, A., Freire, I. e Ferreira, A. (2004). Maus-tratos entre pares na escola: um estudo contextualizado [Abuse among peers at school: a contextual study]. Actas do congresso Ibero-Americano sobre violências nas escolas, Basília.

Simões, S. (2011). Influência dos estilos educativos parentais na qualidade da vinculação de crianças em idade escolar em diferentes tipos de família [Influence of parental rearing styles in the quality of attachment of school aged chindren in different types of family]. Tese de doutoramento não publicada, Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Universidade do Porto, Portugal.

Soares, I. (2007). Relações de vinculação ao longo do desenvolvimento: Teorias e avaliação [Attachment relations over development]. Braga: Psiquilibrios.

Williams, K. e Kennedy, J. H. (2012). Bullying behaviors and attachment styles. North American Journal of Psychology, 14(2), 321-338.


Apontadores

  • Não há apontadores.




Copyright (c) 2015 Sónia Catarina Carvalho Simões, Joaquim Jorge Ferreira, Sandra Braga, Henrique Testa Vicente

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.