Tipos de Artigos

9.1. Os artigos originais devem ser divididos em secções com os seguintes títulos principais: Introdução, Método (Participantes, Instrumentos, Procedimentos metodológicos, Procedimentos analíticos), Resultados, Discussão, Conclusão e Referências. Para os artigos originais (até 7000* palavras), podem ser seguidas as recomendações dos seguintes autores:

 

 

Nos artigos originais, os autores podem utilizar listas de verificação (checklists) para situações específicas:

  • CONSORT checklist e fluxograma para ensaios clínicos aleatorizados.
  • STARD checklist e fluxograma para estudos de precisão diagnóstica.
  • STROBE para estudos observacionais epidemiológicos.

 

9.2. Os estudos sobre instrumentos de medida são um subtipo dos Artigos originais que podem ser divididos em Justificação do estudo, Definição conceptual do constructo, Construção e avaliação qualitativa dos itens, Análise estatística dos itens, Consistência interna, Consistência temporal, Confiabilidade interjuízes, Forma alternativa, Validade convergente e Validade Interna. Este subtipo de artigo pode seguir as recomendações seguintes:

 

 

9.3. Os estudos de meta-análise (até 9000 palavras*) podem seguir as recomendações seguintes:

 

 

Nos artigos de meta-análise, os autores podem utilizar as listas de verificação (checklists) seguintes:

  • MOOSE checklist e fluxograma para meta-análise.
  • PRISMA checklist e fluxograma para meta-análise.

 

9.4. Os estudos de revisão (até 9000 palavras*) poderão seguir as recomendações seguintes:

 

Nos artigos de revisão, os autores podem utilizar a lista de verificação (checklist) seguinte:

  • PRISMA checklist e fluxograma para revisões sistemáticas.

* Estes limites poderão ser ultrapassados se devidamente justificados.