Bullying, vinculação e estilos educativos parentais em adolescentes do 3º ciclo do ensino básico

  • Sónia Catarina Carvalho Simões Departamento de Investigação & Desenvolvimento do Instituto Superior Miguel Torga http://orcid.org/0000-0002-6691-7941
  • Joaquim Jorge Ferreira Instituto Superior Miguel Torga
  • Sandra Braga Instituto Superior Miguel Torga
  • Henrique Testa Vicente Instituto Superior Miguel Torga http://orcid.org/0000-0001-5571-9168

Resumo

Objetivos: Dado que a literatura salienta o impacto da vinculação e do comportamento parental nos comportamentos de bullying, temos como objetivo estudar os comportamentos de bullying, de visibilidade crescente em adolescentes no contexto escolar, e a sua relação com a qualidade da vinculação e os estilos educativos parentais.

Método: A amostra deste estudo envolveu 50 adolescentes, 26 raparigas e 24 rapazes, com idades entre os 12 e os 17 anos (M = 14,24). O protocolo foi composto por: Questionário de Exclusão Social e Violência Escolar (QEVE), Inventário de Vinculação na Adolescência (IPPA) e A Parental Rearing Style Questionnaire for use with Adolescents (EMBU-A).

Resultados: Os adolescentes da nossa amostra tendem a ser mais observadores em situações de bullying, sendo os tipos de violência mais frequentes a exclusão social e a agressão verbal. As vítimas de bullying são mais frequentemente jovens de nível socioeconómico baixo e as raparigas são mais observadoras de exclusão social e agressão verbal do que os rapazes. No que respeita à vinculação, os jovens com mais comportamentos agressivos percecionam menor comunicação e confiança em relação ao pai e aos amigos e quando se sentem alienados face aos seus pares, estão mais sujeitos a serem vítimas de bullying. Por fim, relativamente aos estilos educativos parentais, os adolescentes mais agressivos tendem a ser os que sentem maior rejeição e menor suporte emocional maternos.

Conclusões: Fica, então, sublinhada a importância para os comportamentos de bullying dos estilos educativos parentais e da qualidade da vinculação dos jovens com as figuras significativas. Estas conclusões remetem-nos para implicações ao nível da prevenção deste fenómeno, sendo importante não só considerar variáveis individuais, mas também como o sujeito interage em todos os seus sistemas de pertença, focando a construção de relações afetivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Sónia Catarina Carvalho Simões, Departamento de Investigação & Desenvolvimento do Instituto Superior Miguel Torga

Professora Auxiliar (equiparada) do Instituto Superior Miguel Torga (ISMT). Coordenadora Adjunta do Departamento de Investigação & Desenvolvimento do ISMT. Psicóloga Clínica.

Joaquim Jorge Ferreira, Instituto Superior Miguel Torga

Mestre em psicologia clínica. Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra, Portugal.

Sandra Braga, Instituto Superior Miguel Torga

Mestre em Psicologia Clínica.  Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra, Portugal.

Henrique Testa Vicente, Instituto Superior Miguel Torga

Professor auxiliar.  Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra, Portugal.

Referências

Ahmed. E., & Braithwaite, V. (2004). Bullying and victimization: Cause for concern for both families and schools. Social Psychology of Education, 7(1), 35-54. [Google Scholar] [Crossref]

Ainsworth, M. (1989). Attachment beyond infancy. American Psychologist, 44(4), 709-716. [Google Scholar] [Crossref]

Almeida, A., Pereira, B., & Valente, L. (1995). A violência infantil nos espaços escolares: Dados preliminares de um estudo no 1º e 2º ciclo do ensino básico [The violence agaist children in school spaces: Preliminary data from a study in the 1st and 2nd cycle of basic education]. In L. Almeida & I. Ribeiro (Eds.), Avaliação psicológica: Formas e contextos (pp., 225-262). [Google Scholar]

Amado, J. S., & Freire, I. P. (2002). Indisciplina e violência na escola - compreender para prevenir [Indiscipline and violence in schools - understanding to prevent]. Porto: Edições Asa. [Google Scholar]

Antunes, D. C., & Zuin, A. A. S. (2008). Do bullying ao preconceito: Os desafios da barbárie à educação [From bullying to prejudgement: The challenges of barbarism to education. Revista Psicologia e Sociedade, 20(1), 33-42. [Google Scholar] [Crossref]

Bandeira, C. M., & Hutz, C. S. (2012). Bullying: Prevalência, implicações e diferenças entre os gêneros [Bullying: prevalence, implications and differences between genders]. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, 16(1), 35-44. [Google Scholar] [Crossref]

Barros, P. C., Carvalho, J. E., & Pereira, M. B. (2009). Um estudo sobre bullying no contexto escolar [A study about bullying in the school context]. Paper presented at the IX Congresso Nacional de Educação. EDUCERE III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia – PUCPR, Curitiba, Brasil. [Google Scholar] [Handle]

Bowlby, J. (2001). Formação e rompimento dos laços afetivos [The making and breaking of affectional bonds] (3rd ed.) São Paulo: Martins Fontes. [Google Scholar]

Canavarro, M. (1999). Relações afetivas e saúde mental [Affective relations and mental health]. Coimbra: Quarteto Editora. [Google Scholar]

Carrilho, L., & Bacelar, T. (2010). Bullying - Agressividade em contexto escolar. Ousar Integrar [Bullying - Aggressiveness in school context]. Revista de Reinserção Social e Prova, 6, 43-59. [Google Scholar]

Carvalhosa, S., Lima, L., & Matos, M. (2001). Bullying – A provocação/ vitimação entre pares no contexto escolar Português [Bullying – Provocation / victimization among peers in the Portuguese school context]. Análise Psicológica, 19(4), 523-537. [Google Scholar] [PDF]

Carvalhosa, S., Moleiro. C., & Sales, C. (2009). A situação do bullying nas escolas portuguesas [The bullying situation in Portuguese schools]. Interacções, 5(13), 125-146. [Google Scholar] [URL]

Cruz, O. (2005). Parentalidade [Parenting]. Coimbra: Quarteto. [Google Scholar]

Cummings, M. E., Davies, P. T., & Campbell, S. B. (2000). Developmental psychopathology and family process: Theory, research and clinical implications. New York, NY: Guilford Press. [Google Scholar]

Due, P., Merlo, J., Harel-Fisch, Y., Damsgaard, M. T., Holstein, B. E., Hetland, J., Currie, C., Gabhainn, S. N., de Matos, M. G., Lynch, J. (2009). Socioeconomic inequality in exposure to bullying during adolescence: A comparative, cross-sectional, multilevel study in 35 countries. American Journal of Public Health, 99(5), 907-914. [Google Scholar] [Crossref]

Freire, I., Simão A., & Ferreira, A. (2006). O estudo da violência entre pares no 3º ciclo do ensino básico – Um questionário aferido para a população escolar portuguesa [The study of peer violence in the 3rd cycle of basic education - A questionnaire standardized for the Portuguese school population]. Revista Portuguesa de Educação, 19(2), 157-183. [Google Scholar] [URL]

Gomes, R., & Gomes, R. (2000). Perceived maternal control and support as predictors of hostile-biased attribution of intent and response selection in aggressive boys. Aggressive Behavior, 26(2), 155-168. [Google Scholar] [Crossref]

Ireland, J. L., & Power, C. L. (2004). Attachment, emotional loneliness, and bullying behavior: A study of adult and young offenders. Aggressive Behavior, 30(4), 298-312. [Google Scholar] [Crossref]

Kokkinos, C. M. (2013). Bullying and victimization in early adolescence: Associations with attachment style and perceived parenting. Journal of School Violence, 12(2), 174-192. [Google Scholar] [Crossref]

Lacerda, M. (2005). A perceção das práticas parentais pelos adolescentes: Implicações na perceção de controlo e nas estratégias de coping [The perception of parental rearing practices by adolescents: Implications for control perception and coping strategies] (Unpublished master's thesis), Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, Portugal. [Google Scholar]

Magklara, K., Skapinakis, P., Gkatsa, T., Bellos, S., Araya, R., Stylianidis, S., & Mavreas, V. (2012). Bullying behaviour in schools, socioeconomic position and psychiatric morbidity: A cross-sectional study in late adolescents in Greece. Child and Adolescent Psychiatry and Mental Health, 6(8), 1-13. [Google Scholar] [Crossref]

Marini, Z. A., Dane, A. V., Bosacki, S. L., & YLC-CURA. (2006). Direct and indirect bully-victims: Differential psychosocial risk factors associated with adolescents involved in bullying and victimization. Aggressive Behavior, 32(6), 551-569. [Google Scholar] [Crossref]

Martins, M. J. D. (2005). Agressão e vitimação entre adolescentes, em contexto escolar: Um estudo empírico [Aggression and victimization among adolescents in school context: An empirical study. Análise psicológica, 23(4), 401-425. [Google Scholar] [PDF]

Martins, M. J. (2007). Violência interpessoal e maus-tratos entre pares, em contexto escolar [Interpersonal violence and abuse among peers in school context. Revista da Educação, 2, 51-78. [Google Scholar] [Handle]

Martins, M. J. (2009). Maus-tratos entre adolescentes na escola [Abuse among adolescents in school]. Lisboa: Editorial Novembro. [Google Scholar]

Martins, M. J. (2011). Prevenção da indisciplina, da violência e do bullying nas escolas [Prevention of indiscipline, violence, and bullying in schools]. Proforma, 3, 1-6. [Google Scholar] [URL]

Matos, M., Simões C., & Gaspar, T. (2009). Violência entre pares no contexto escolar em Portugal, nos últimos 10 anos [Peer violence in the school context in Portugal, the last 10 years]. Interações, 5(13), 98-124. [Google Scholar] [URL]

Moz, M., J., & Zawadski, M. L. (2007). Bullying: Estratégias de sobrevivência para crianças e adultos [Bullying: Survival strategies for children and adults]. Porto Alegre: Artmed. [Google Scholar]

Musitu, G., Estévez, E., Jiménez T., & Veiga, F. (2011). Agentes de socialização da violência e vitimização escolar [Socialization agents of violence and school victimization]. In S. Caldeira & F. Veiga (Eds.), Intervir em situações de indisciplina, violência e conflito (pp. 43-73). Lisboa. [Google Scholar]

Neves, L., Soares I., & Silva, M. (1999). Inventário da Vinculação na Adolescência – IPPA [Inventory Attachment in Adolescence - IPPA]. In M. R. Simões, M. M. Gonçalves, & L. S. Almeida (Eds.), Testes e provas psicológicas em Portugal (pp. 37-48) Braga: APPORT/SHO. [Google Scholar]

Olweus, D. (1993). Acoso escolar, “Bullying”, en las escuelas: Hechos e intervenciones [School abuse, "bullying" in schools: Facts and interventions]. Centro de Investigación para la promoción de la salude. Universidade de Bergen, Noruega. [Google Scholar]

Olweus, D. (1994). Annotation: Bullying at school: Basic facts and effects of a school based intervention program. Journal of Child Psychology and Psychiatry, 35(7), 1171-1190. [Google Scholar] [Crossref]

Morata, O. D. (1998). Conductas de acoso y amenaza entre escolares [Behaviors of abuse and threat between schoolars]. Madrid: Ediciones. [Google Scholar]

Pereira, B., Mendonça, D., Neto, C., Valente L., & Smith, P. K. (2004). Bullying in Portuguese schools. School Psychology International, 25(2), 241-254. [Google Scholar] [Crossref]

Pereira, B. O. (2008). Para uma escola sem violência: Estudo e prevenção das práticas agressivas entre crianças [For a school without violence: Study and prevention of aggressive practices among children] (2nd ed.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. [Google Scholar]

Pestana, M. H., & Gageiro, J. N. (2008). Análise de dados para ciências sociais: A complementaridade do SPSS [Data analysis for the Social Sciences: The complementarity of the SPSS]. Lisboa: Edições Sílabo. [Google Scholar]

Raimundo R., & Seixas, S. (2009). Comportamentos de bullying no 1º ciclo: Estudo de caso numa escola de Lisboa [Bullying behaviors in the 1st cycle: a case study in a school in Lisbon]. Interações, 5(13), 164-186. [Google Scholar] [URL]

Rech, R. R., Halpern, R., Tedesco A., & Santos, D. F. (2013). Prevalence and characteristics of victims and perpetrators of bullying. Jornal de Pediatria, 89(2), 164-170. [Google Scholar] [Crossref]

Seixas, S. R. (2005). Violência escolar: Metodologias de identificação dos alunos agressores e/ou vítimas [School Violence: Methodologies of Identification of the aggressors and / or victims students. Análise Psicológica, 23(2), 97-110. [Google Scholar] [Crossref]

Soares, I. (2007). Relações de vinculação ao longo do desenvolvimento: Teorias e avaliação [Attachment relations over development: Theories and assessment]. Braga: Psiquilibrios. [Google Scholar]

Williams K., & Kennedy, J. H. (2012). Bullying behaviors and attachment styles. North American Journal of Psychology, 14(2), 321-338. [Google Scholar] [URL]

Publicado
2015-02-28
Como Citar
Simões, S., Ferreira, J., Braga, S., & Vicente, H. (2015). Bullying, vinculação e estilos educativos parentais em adolescentes do 3º ciclo do ensino básico. Revista Portuguesa De Investigação Comportamental E Social, 1(1), 30-41. https://doi.org/10.7342/ismt.rpics.2015.1.1.8
Secção
Artigo Original