Burnout em profissionais de Serviço Social durante a pandemia de COVID

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31211/rpics.2021.7.1.204

Palavras-chave:

Exaustão emocional, Despersonalização, Realização pessoal, Burnout, Assistente social

Resumo

Objetivo: O objetivo do estudo visa avaliar a prevalência de burnout em assistentes sociais a exercer funções em Portugal durante a pandemia do SARS-CoV-2. Métodos: Estudo descritivo, quantitativo e transversal realizado entre o mês de novembro de 2020 e março de 2021, onde 416 assistentes sociais, distribuídos por 20 concelhos de Portugal Continental e Ilhas, responderam a um breve questionário sociodemográfico e ao Inventário de Burnout de Maslach. Resultados: A maioria dos assistentes sociais que participaram no estudo eram mulheres (96,3%). Verificou-se que 54,7% desempenhava a sua atividade em serviço social há mais de 11 anos, e 43,8% eram gestores/responsáveis por mais de 60 processos. No geral, não se verificou burnout nos participantes. Apesar de 82,3% dos participantes apresentar resultados que indicaram Realização Pessoal, é visível que alguns participantes também apresentaram Exaustão Emocional (45,1%). Os participantes que executaram horas extra e os participantes com maior número de processos, apresentaram níveis mais altos de Exaustão emocional e de Despersonalização. Os participantes com menos anos de atividade em serviço social foram os que apresentaram níveis mais altos na dimensão de Realização PessoalConclusões: Os participantes do estudo não evidenciam burnout. No entanto, apesar de grande maioria apresentar revelarem níveis mais altos de Realização Pessoal, uma percentagem considerável revela também níveis mais altos de Exaustão Emocional. Estudos futuros devem avaliar padrões biológicos, tais como níveis de cortisol.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aguayo, R., Vargas, C., Cañadas, G. R., & De la Fuente, E. I. (2017). Are socio-demographic factors associated to burnout syndrome in police officers? A correlational meta-analysis. Anales de Psicología, 33(2), 383. https://doi.org/f9z6

Appel-Meulenbroek, R., Voordt, T. van der, Aussems, R., Arentze, T., & Le Blanc, P. (2020). Impact of activity-based workplaces on burnout and engagement dimensions. Journal of Corporate Real Estate, 22(4), 279–296. https://doi.org/f9z7

Associação de Profissionais de Serviço Social. (2018). Código deontológico dos assistentes sociais em Portugal. APSS. https://bit.ly/3h6iPAC

Bracons, H. (2020). Perceção dos estudantes finalistas de serviço social face ao contexto de emergência Covid-19. Revista Internacional de Educación para la Justicia Social, (9), 3. https://bit.ly/2PQYX9K

Campbell, A. M. (2020). An increasing risk of family violence during the Covid-19 pandemic: Strengthening community collaborations to save lives. Forensic Science International: Reports, 2, 1–3. https://doi.org/dt54

Cañadas-De la Fuente, G., Ortega, E., Ramirez-Baena, L., De la Fuente-Solana, E., Vargas, C., & Gómez-Urquiza, J. (2018). Gender, marital status, and children as risk factors for burnout in nurses: A meta-analytic study. International Journal of Environmental Research and Public Health, 15(10), 2102. https://doi.org/gfm3xk

Cardoso, J., Vilar, D., & Casquilho-Martins, I. (2020). Desafios ao serviço social no contexto da COVID-19. Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social – CLISSIS. https://bit.ly/3nKwtLg

Carvalho, D. T., & Neto, H. V. (2018). Fadiga, stresse, burnout e estratégias de coping num serviço social de uma IPSS. International Journal on Working Conditions, 15, 113–129. https://bit.ly/338siiW

Carvalho, M. I. (2020). O serviço social na saúde em Portugal e os desafios da Covid-19. Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social, 8, 1086. https://doi.org/f9z8

Carvalho, M. I., & Pinto, C. (2015). Desafios do Serviço Social na atualidade em Portugal. Serviço Social & Sociedade, 121, 66–94. https://doi.org/f9z9

Carvalho, M. I., Pinto, C., Costa, J. L., Duarte, C., & Garcia, A. P. (2017). Repensar o serviço social em tempo de crise económica e financeira em Portugal. Trabajo Social Global-Global Social Work, 7(12), 120–145. https://doi.org/f92b

Chyung, S. Y. Y., Roberts, K., Swanson, I., & Hankinson, A. (2017). Evidence-based survey design: The Use of a midpoint on the Likert scale. Performance Improvement, 56(10), 15–23. https://doi.org/gfgm4w

Costa, A. F. (2020). Desigualdades sociais e pandemia. Em R. M. Carmo, I. Tavares, & A. F. Cândido (Eds.), Um olhar sociológico sobre a crise Covid-19 em livro. Observatório das Desigualdades, CIES- ISCTE.

Dias, F., & Duque, E. (2018). O impacto da crise no serviço social. HOLOS, 8, 138–158. https://doi.org/f92d

Direção Geral de Saúde. (2020). Novo coronavírus COVID-19: Relatório de situação. https://bit.ly/3gZot7S

Direção Geral de Saúde. (2021). COVID-19: Relatório de situação. Situação epidemiológica em Portugal. https://bit.ly/3vCSNsN

Drago, A. (2020). Habitação, pandemia, crise. Em R. M. Carmo, I. Tavares, & A. F. Cândido (Eds.), Um olhar sociológico sobre a crise Covid-19 em livro. Observatório das Desigualdades, CIES-ISCTE.

Espírito-Santo, H., & Daniel, F. B. (2015). Calcular e apresentar tamanhos do efeito em trabalhos científicos (1): As limitações do p < 0,05 na análise de diferenças de médias de dois grupos. Revista Portuguesa de Investigação Comportamental e Social, 1(1), 3–16. https://doi.org/gg9dgs

Espírito-Santo, H. M. A., & Daniel, F. (2018). Calcular e apresentar tamanhos do efeito em trabalhos científicos (3): Guia para reportar os tamanhos do efeito para análises de regressão e ANOVAs. Revista Portuguesa de Investigação Comportamental e Social, 4(1), 43–60. https://doi.org/f92f

Farr, P. (2020). Social workers of the world unite! A call to unionize the social work profession. International Social Work, 1, 1–5. https://doi.org/f92g

Freudenberger, H. J. (1974). Staff burn-out. Journal of Social Issues, 30(1), 159–165. https://doi.org/bvn2gn

Gabinete de Planeamento e Estratégia. (2020). Plano de ação do ISS, IP. https://bit.ly/2RmXGay

Gómez-García, R., Alonso-Sangregorio, M., & Llamazares-Sánchez, M. L. (2020). Burnout in social workers and socio-demographic factors. Journal of Social Work, 20(4), 463–482. https://doi.org/f92h

Hussein, S. (2018). Work engagement, burnout and personal accomplishments among social workers: A comparison between those working in children and adults’ services in England. Administration and Policy in Mental Health and Mental Health Services Research, 45(6), 911–923. https://doi.org/gfgsqx

Mamede, R. P., Pereira, M., & Simões, A. (2020). Portugal: Uma análise rápida do impacto da COVID-19 na economia e no mercado de trabalho. Organização Internacional do Trabalho.

Marôco, J. (2018). Análise estatística com o SPSS Statistics (7ª ed.). Report Number.

Marôco, J., & Garcia-Marques, T. (2006). Qual a fiabilidade do alfa de Cronbach? Questões antigas e soluções modernas? Laboratório de Psicologia, 4(1), 65–90. https://bit.ly/3ufNQpP

Maslach, C., & Jackson, S. E. (1981). The measurement of experienced burnout. Journal of Organizational Behavior, 2(2), 99–113. https://doi.org/cfj

Maslach, C., & Leiter, M. P. (2016a). Burnout. In G. Fink (Ed.), Stress: Concepts, cognition, emotion, and behavior (Vol. 1, pp. 351–357). Elsevier. https://doi.org/dvj6

Maslach, C., & Leiter, M. P. (2016b). Understanding the burnout experience: Recent research and its implications for psychiatry. World Psychiatry, 15(2), 103–111. https://doi.org/f8twbg

Maslach, C., Jackson, S. E., & Leiter, M. P. (1997). Maslach burnout inventory. In C. P. Zalaquett & R. J. Wood (Eds.), Evaluating stress: A book of resources (pp. 191–218). Scarecrow Education.

Maslach, C., Schaufeli, W. B., & Leiter, M. P. (2001). Job Burnout. Annual Review of Psychology, 52(1), 397–422. https://doi.org/b2w8ff

Mousavy, S., & Nimehchisalem, V. (2014). Contribution of gender, marital status, and age to English language teachers’ burnout. Advances in Language and Literary Studies, 5(6), 39–47. https://doi.org/f92m

Moz, A., Andrade, F., Morais, T., & Vasconcelos-Raposo, J. (2019). Influência da atividade física nos sintomas depressivos de diabéticos e hipertensos. Psychtech & Health Journal, 2(2), 27–38. https://doi.org/f92n

Nascimento e Silva, G. (2019). (Re)Conhecendo o estresse no trabalho: Uma visão crítica. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 12(1), 51–61. https://doi.org/f92p

Ochentel, O., Humphrey, C., & Pfeifer, K. (2018). Efficacy of exercise therapy in persons with burnout. A systematic review and meta-analysis. Journal Sports Science & Medicine, 17(3), 475–484. https://bit.ly/3xJBcBv

Peinado, M., & Anderson, K. N. (2020). Reducing social worker burnout during COVID-19. International Social Work, 63(6), 757–760. https://doi.org/f92q

Redondo-Sama, G., Matulic, V., Munté-Pascual, A., & Vicente, I. (2020). Social work during the COVID-19 crisis: Responding to urgent social needs. Sustainability, 12, 1–16. https://doi.org/f92r

Rodrigues, C. F. de S., Lima, F. J. C. de, & Barbosa, F. T. (2017). Importância do uso adequado da estatística básica nas pesquisas clínicas. Brazilian Journal of Anesthesiology, 67(6), 619–625. https://doi.org/f92s

Salari, N., Hosseinian-Far, A., Jalali, R., Vaisi-Raygani, A., Rasoulpoor, S., Mohammadi, M., Rasoulpoor, S., & Khaledi-Paveh, B. (2020). Prevalence of stress, anxiety, depression among the general population during the COVID-19 pandemic: A systematic review and meta-analysis. Globalization and Health, 16(1), 57. https://doi.org/gg5qtv

Sánchez-Moreno, E., Roldán, I.-N. F., Gallardo-Peralta, L. P., & Roda, A. B. L. (2015). Burnout, informal social support and psychological distress among social workers. British Journal of Social Work, 45(8), 2368–2386. https://doi.org/f748qp

Sane, M. A., Devin, H. F., Jafari, R., & Zohoorian, Z. (2012). Relationship between physical activity and it’s components with burnout in academic members of Daregaz Universities. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 46, 4291–4294. https://doi.org/f92t

Semedo, C. S. (2009). Bem-estar psicológico no trabalho e acidentalidade laboral em profissionais de saúde [Tese de Doutoramento, Universidade de Santiago de Compostela]. Repositório da Universidade de Santiago de Compostela. https://bit.ly/2Rp0Kmx

Teles, H. M. M., Ramalho, N. A., Ribeiro, S. M. P., & Ramalho, V. S. B. (2020). Níveis de estresse e engagement laboral dos Assistentes Sociais em Portugal. Estudos de Psicologia,24(3), 258–268. https://doi.org/f92v

Vaz-Serra, A. (2002). Stress na vida de todos os dias. Gráfica de Coimbra, Lda.

Vicente, C. S., Oliveira, R. A., & Marôco, J. (2013). Análise fatorial do inventário de burnout de Maslach (MBI-HSS) em profissionais portugueses. Psicologia, Saúde & Doenças, 14(1), 152–167. https://bit.ly/33aoiOG

Zaki N. F. N., Sidiq. M, Qasim. M, Aranas. B, Hakamy. A, Ruwais. N. A, Alanezi. H, Al Saudi, D. A., Alshahrani, R. B. R, Al-Thomali, A. B. A, Manzar, M. D., BaHammam A. S., Al-Kaabba, A. F., & Pandi-Perumal, S. R. (2020). Stress and psychological consequences of COVID-19 on health-care workers. Journal of Nature and Science of Medicine, 3, 299–307. https://bit.ly/3y6hYWX

Publicado

2021-05-31

Como Citar

Mendes, J. ., Cabral, H., & Melo, F. . (2021). Burnout em profissionais de Serviço Social durante a pandemia de COVID. Revista Portuguesa De Investigação Comportamental E Social, 7(1), 25–40. https://doi.org/10.31211/rpics.2021.7.1.204

Edição

Secção

Artigo Original