Sentimentos face ao futuro, necessidades percebidas e redes de suporte social de cuidadores informais de pessoas adultas com deficiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7342/ismt.rpics.2016.2.1.27

Palavras-chave:

Deficiência Intelectual, Paralisia Cerebral, Cuidador Informal, Envelhecimento, Suporte Social, Redes Sociais Pessoais, Serviço Social

Resumo

Objetivo: O aumento da esperança de vida das pessoas com deficiência e o envelhecimento dos seus cuidadores informais convocam a refletir sobre os desafios que se perspetivam no presente e futuro em torno da provisão dos cuidados. O objetivo é caracterizar os sentimentos face ao futuro, necessidades de apoio e rede de suporte social de cuidadores informais de adultos com deficiência. Participantes: Participaram  40 cuidadores informais, na sua maioria pais (67,5%) de adultos com paralisia cerebral, deficiência intelectual e multideficiência; média de idades de 67,83 (DP = 11,47), tendo 72,5% 65 anos ou mais; maioritariamente do sexo feminino (77,5%), casados (50%), reformadas/os (65%), e a maior parte integra famílias monoparentais (40%). Métodos: Utilizou-se inquérito por questionário e o Instrumento de Análise da Rede Social Pessoal para avaliar as dimensões das redes. Resultados: A conciliação entre trabalho e cuidar é feita com alguma dificuldade (40%), tendo 17,5% deixado de trabalhar, percebendo um nível de sobrecarga moderado (32,5%) e elevado (30%). A incerteza e tristeza são os sentimentos negativos mais frequentes face ao futuro, sendo o positivo, a esperança. O apoio necessitado mais referido atual é o económico, e no futuro o apoio residencial. Estruturalmente, a rede social pessoal tem um tamanho médio de 6 membros, compõe-se maioritariamente por familiares (M = 74%) e densidade muito elevada. Funcionalmente, o apoio percebido como mais elevado é o emocional, sendo os restantes moderados, revelando reciprocidade e satisfação com a rede. A frequência de contactos entre os membros é elevada e há proximidade geográfica. Conclusões: Emerge da realidade do envelhecimento nas famílias e cuidadores de pessoas com deficiência um conjunto de necessidades, dificuldades, restrições no apoio e riscos de vulnerabilização que merecem aprofundamento. A mobilização da provisão informal exige sincronização com provisão formal e coletiva que favoreça os direitos e bem-estar dos cidadãos que cuidam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Sónia Guadalupe, Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra, Portugal

Professora Auxiliar, Assistente social, Terapeuta familiar, Investigadora

Élia Costa, Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra, Coimbra, Portugal

Assistente Social

Fernanda Daniel, Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra, Portugal

Professora auxiliar, Investigadora 

Downloads

Publicado

2016-02-29

Como Citar

Guadalupe, S., Costa, Élia, & Daniel, F. (2016). Sentimentos face ao futuro, necessidades percebidas e redes de suporte social de cuidadores informais de pessoas adultas com deficiência. Revista Portuguesa De Investigação Comportamental E Social, 2(1), 53–66. https://doi.org/10.7342/ismt.rpics.2016.2.1.27

Edição

Secção

Artigo Original

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>